Ocupação Ouvidor 63 realiza festival de cultura no centro de São Paulo

  • 0

Ocupação Ouvidor 63 realiza festival de cultura no centro de São Paulo

Category : Notícias

Dora Scobar

Espaço ocupado há mais de quatro anos por artistas integra luta social com cultura

Neste domingo (31), a Ocupação Ouvidor 63 encerrou a realização do “Festival Ouvidor 63 Resiste” um festival cultural que durou 10 dias e reuniu artistas plásticos, músicos, grafiteiros, performistas e malabaristas. O objetivo do festival foi aliar a luta social com a cultura, visto que, o prédio de ocupação está em processo de reintegração de posse e usará do dinheiro arrecadado para financiar reformas.

O festival aconteceu na Ocupação Ouvidor, localizada na Rua Ouvidor, 63, na Sé. Durante o evento, foram promovidos diversos encontros como oficinas de teatro, capoeira, pole dance, produção de máscara, etc. Além das oficinas, diversos artistas ‘undergrounds” se apresentaram em shows de rap, jazz e música eletrônica.

O evento teve como fomento o processo de reintegração de posse que corre no Tribunal de Justiça de São Paulo. O Estado de São Paulo, dono do local, alega que às condições de seguranças comprometem a vida dos moradores e vizinhos, solicitando o prédio para si.

Vista de fora do prédio da ocupação (Foto: Dora Scobar)

Os moradores, que organizaram a ação, promoveram exposições e leilões de obras de artes. Sem deixar a parte social de lado, o Festival promoveu rodas de conversas com enfoques no autoconhecimento e conhecimento ancestral.

Instalação de madeira aberta para observação durante o festival
(Foto: Dora Scobar)
Teto do andar aberto ao público geral
(Foto: Dora Scobar)

A entrada no evento não exigia o pagamento de nenhum pagamento pré-estipulado, pediam contribuições voluntárias. Basicamente, o quando pudesse ou achasse justo pagar.

O acesso ao público era restrito à uma área onde havia um bar, um palco com DJ, pista de dança e espaços de exibição de projeções e performances.

Divisão entre a área aberta ao público geral e a parte reservada aos moradores
(Foto: Dora Scobar)

No entanto, ao longo do evento, tivemos a chance de conhecer alguns moradores. Um deles, o Daniel, morador do sétimo andar, simpatizou conosco e topou fazer uma ‘tour’ pelos andares.

“Cada um tem um talento”, disse ao nos conduzir pelas escadas, procurando explicar o que fazem lá os outros moradores. Nas paredes da escadaria, xilogravuras e mais grafites. A beleza da decoração fazia esquecer um pouco o cansaço da subida; apesar de haver energia elétrica nas casas e áreas comuns, não havia elevador.

Chegando ao destino, a vista era privilegiada.

Vista da varanda do sétimo andar
(Foto: Dora Scobar)

A vista do sétimo andar da ocupação, casa do Daniel.

Daniel, 24, morador (Foto: Dora Scobar)

Conforme explicou Daniel, o Rasta, como é conhecido no prédio, há quase cinco anos, artistas, grafiteiros, músicos, circenses e pintores, ocuparam um prédio no centro paulistano que estava abandonado há mais de 16 anos. Antes de ser esvaziado, o edifício, na altura do número 63 da Rua do Ouvidor,  abrigava a antiga Secretaria de Cultura. Hoje, o Ouvidor abriga cerca de 100 pessoas, tornando-se a maior ocupação artística da América Latina.

Para acompanhar a divulgação dos eventos, vale curtir a página do Ouvidor 63 no Facebook.