Esporte e universidade: a PUC-SP nos Jogos de Comunicação e Artes

Google+ Pinterest LinkedIn Tumblr +
Pontifícia no JUCA desde 2002: conheça essa Atlética

Por Ariane Freire e Rocio Paik

Bodas de prata e muita alegria para comemorar o casamento. Seu Juca, o anfitrião desta festa, começou em 1993 uma história apaixonada com quatro Atléticas Universitárias, que representavam faculdades de Comunicação e Artes da USP, Mackenzie, ESPM e Cásper Líbero, como informa um anúncio oficial do primeiro campeonato.  Para algumas, o amor foi verdadeiro e continua bem firme, para outras foi uma paixão adolescente que deixou boas lembranças. Em 2018, oficialmente oito faculdades do Estado de São Paulo participam dos jogos: Anhembi Morumbi, Belas Artes, Cásper Líbero, ECA-USP, Mackenzie, Metodista, PUC-Campinas e PUC-SP.

Para quem não conhece, JUCA são os Jogos Universitários de Comunicação e Artes que já acontecem há vinte e cinco anos em alguma cidadezinha de São Paulo, durante quatro dias de festas, integração e competição entre os alunos.

Arquivo dos Jogos. Divulgação página oficial JUCA

A Pontifícia Universidade Católica de São Paulo participa dos jogos desde 2002, tendo como mascote carismático um cachorro batizado de Pucão. Bateria, atletas e uma torcida animada representam o time em quadra e também na arquibancada. Ananda Portela, é Diretora Geral de Esportes e afirma que o objetivo maior é o JUCA, mas que o papel da Atlética é incentivar e desenvolver os esportes dentro da universidade durante o ano inteiro.

“É tudo uma loucura! Você está com os seus amigos, vai se aproximar das pessoas da sua sala e vai conhecer gente de outras faculdades também. Tem festas à noite e são muito boas. Nossa preparação é muito forte agora e o nosso objetivo é manter esse ânimo dos atletas pra frente”, afirma a veterana que já está em seu quarto ano da competição.

Futebol, Handebol, Vôlei, Basquete, Natação e Tênis de Mesa foram as primeiras modalidades experimentadas nos jogos. Posteriormente, Rugby, Xadrez, Futsal e Tênis de Campo também foram acrescentados ao campeonato.

Embora os treinos sejam levados muito a sério, o ambiente é descontraído e as portas estão abertas aos novos atletas. Alunos que desejam participar de algum esporte são bem-vindos aos times e não precisam ter medo de entrar, pois é lá dentro que todos se aperfeiçoam e se preparam para as competições, conforme explica Gabriel Prock, representando a equipe de Natação:

“Não dá para você entrar no time sem saber nadar, mas se souber o básico, a gente desenvolve durante os treinos. Acho que o principal é ter comprometimento e força de vontade para querer aprender, então não precisa ser um expert na natação. Você estar ali, participando de algo e representando um nome dentro da água é muito importante porque você consegue viver mais a sua faculdade. Você tem o espírito do que é ser Raça PUC.”

Ter esse espírito diferencia uma passagem acadêmica, apenas como formação, de uma vivência acadêmica, com experiências para além dos muros universitários. O engajamento não precisa ser apenas político, social e profissional na vida dos alunos, todas as emoções envolvidas durante os quatro ou cinco anos de curso devem ser valorizadas como uma descoberta positiva para todos.

Alana Moraes é aluna do curso de Publicidade da PUC-SP, entrou para o Futsal há um ano e hoje é DM (Diretora de Modalidade) do time. Não importa a distância ou horário do treino, ela sempre está ali e reafirma que o objetivo principal são os jogos: “JUCA é o motivo pelo qual a gente dedica todo fim de semana, todo domingo treinando e jogando para ter aquele momento.”

Entretanto, para os novos alunos nem sempre é fácil começar tudo ao mesmo tempo. Muitos entram e ainda ficam alguns meses apenas observando tudo com cautela, surpresa e curiosidade para o mundo universitário que agora estão vivendo. Entrar para uma bateria, atlética ou esporte às vezes demora um pouco, mas mesmo com todas as inseguranças todos afirmam que vale muito a pena.

“Eu jogava na escola, mas não era tudo isso. E aí pensei se valia a pena eu me arriscar. Eu fui em um treino, todo mundo me acolheu super bem e eu falei que queria continuar isso aqui. Não precisa ser uma Marta da vida, nossos treinos são super de boa e nosso técnico também. Eu fui no JUCA ano passado e a experiência de entrar em quadra, ver a bateria com todo mundo lá, jogando junto com você não tem explicação.”, conta Alana ao relembrar como entrou para o Futsal.

Embora pareça tudo lindo, alguns desafios também aparecem pelo caminho e uma das dificuldades mais apontadas pelos atletas puquianos foi a questão dos espaços. A Atlética não tem um apoio real da universidade e, muitos esportes precisam encontrar e até pagar por estruturas adequadas para treinar. Podemos citar o time de Futsal, por exemplo, que treina no bairro do Limão aos domingos das 19h00 às 21h00. A Natação também ocupa espaço fora da PUC, nadando no estádio do Pacaembu aos sábados pela manhã. Já modalidades como Vôlei e Handebol conseguem organizar os treinos em algum campus da universidade e isso já é um ganho importante, embora não seja nem metade do que as equipes gostariam de ter ao seu alcance.

Os esportes, assim como o aprendizado acadêmico, fazem parte da experiência universitária que muitos jovens idealizam para sua formação. Em grandes universidades americanas, são ofertadas bolsas e incentivos para que os alunos possam competir como atleta pela sua faculdade, além de ser uma das formas de ingresso. Não são apenas jogos que estão sendo discutidos quando abordamos esse tema, mas também a união de equipes e torcidas que carregam o nome da universidade para além da produção acadêmica.

Em resposta, Antônio Carlos Malheiros, Pró-Reitor de Cultura e Relações Comunitárias da PUC-SP, também se posicionou sobre o assunto, admitindo as falhas da instituição, ressaltando a importância do esporte e mostrando que isso precisa ser repensado para o perfil da universidade:

“Na PUC só temos a quadra, a quadra e a quadra. Nós, como estrutura, efetivamente não colaboramos com nada, mas isso tem que terminar. Isso é uma coisa importante na vida dos nossos alunos e eu quero estar reunido com todas as Atléticas e interessados para começar a discutir, coletar ideias e reclamações. Os recursos não vêm e a gente precisa realmente buscar patrocínio, então acredito que nos próximos dias eu estarei convocando essa reunião.”

A entrevista foi realizada no dia nove de abril de 2018 e, portanto, a reunião mencionada deve ser anunciada ainda esse mês para os alunos e Atléticas da PUC-SP.

Até lá, os treinos continuam e o clima é de muita expectativa para o campeonato. Yara Guerra, DM do time de Vôlei, está participando do seu segundo JUCA e conta um pouco sobre essa experiência na sua vida acadêmica:

“É muito importante o esporte na PUC porque ele integra os alunos à faculdade e aos veteranos. Eu mesma só fui conhecer as pessoas depois que entrei no time e me senti muito mais segura para conversar com todo o mundo. Para mim, o vôlei assim como os outros esportes abrem o caminho de comunicação e integração na universidade.”

Construir vínculos é uma tarefa básica e muito importante para todas as áreas. Alguns contatos são essenciais para carreira profissional e a inserção no mercado de trabalho. Outros são fundamentais como companhias para vida. O importante é conhecer, buscar e se aproximar ao máximo de todos e tudo de melhor que a universidade pode oferecer. O amadurecimento faz parte desse aprendizado e também pode ser percebido nesses pequenos detalhes.

Giulia Pallone entrou para o time de Handebol em 2016 e conta que nesse tempo viu um progresso muito grande em relação ao time, o que foi muito importante para que elas acreditassem em si mesmas. Para 2018, ela compartilha um pouco das expectativas com a próxima formação:

“A gente está montando um time novo, muitas meninas se formaram e muitas estão entrando. É muito bom engajar bixetes, chamar e fazer elas participarem, porque a gente percebe que elas também querem e a gente tem que dar essa chance. Tanto a bateria, como a Atlética e as agências experimentais são importantes. Eu acho que faz parte do que você é, do que você procura na faculdade.”

Foto: Atlética PUC-SP / Ilustração: Bruno Biella

Os treinos de Vôlei acontecem no campus Santana, aos sábados, da 13h00 às 15h00. Os de Handebol são realizados no Campus Perdizes, Santana e em um espaço também no Butantã. Demais treinos e modalidades podem ser conferidos pela página do Facebook Pucão – Atlética de Comunicação PUC-SP, e pelo site: http://atleticapucsp.blogspot.com.br/p/treinos-modalidades.html

Para encerrar, Ananda Portela ressalta que a PUC é uma universidade incrível e vai proporcionar vivências únicas para todos os alunos. Em nome da Atlética, ela deixa um recadinho para todos os puquianos:

Para não esquecer: JÁ É JUCA!

Share.

About Author

Leave A Reply

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.