Apresentação de aplicativo da Globonews na ECA-USP

A privatizaçao do ensino público em todos os seus níveis, e os avanços corporativos sobre a educação universal, plural, autônoma e gratuita apresentam várias frentes a serem analisadas. CATAPAUTA sugere que se investigue uma delas, a que aponta um loteamento para a mídia corporativa dos espaços  públicos destinados à formação de jornalistas.

Dia 26 de abril, quarta feira, às 19h00 no auditório Freitas Nobre da Escola de Comunicações e Artes da USP, a “Globo News debate sobre o futuro do jornalismo”, com participação dos professores Eugênio Bucci e Beth Saad, ambos do departamento de jornalismo da ECA USP. Na ocasião será apresentado o aplicativo de colaboração jornalística da Globo, chamado “Na Rua”. Participarão da mesa também Claudia Lira, gerente de programação e marketing, e Anna Karina, Supervisora de programas e do aplicativo.

CATAPAUTA sugere uma dupla pesquisa, seja sobre o aplicativo “Na Rua”, seja sobre o evento de apresentação do novo recurso da Globo News no âmbito de uma universidade pública (ECA-USP).

>>Que tipo de informações o aplicativo gerencia? Como a Globo News edita o material enviado pelas comunidades???? Como veicula (formata) este material ?

>>É papel de uma universidade pública ceder espaço e professores para “apresentar” o aplicativo de colaboração jornalística da Globo, chamado “Na Rua”??? Esta apresentação teria um caráter mais mercadológico do que efetivamente acadêmico????? O que pensa o especialista em ética na mídia Eugênio Bucci, que é também Superintendente de Comunicação Social da USP ?

Quando do lançamento do aplicativo no Fest Rio, em outubro do ano passado, a Globonews enfatizou que “Comunicação é diálogo. E, para sermos melhores em comunicar, queremos trocar, abrir espaço, conversar. Por isso, a GloboNews está lançando um aplicativo de colaboração para trazer conteúdo e olhares diferentes para os telespectadores. O encontro será uma oportunidade para trocar ideias, aprendizados e bater um papo editorial com a equipe do canal”.

>>O histórico da Globonews, principalmente nos últimos quatro anos, permite que se leve minimamente a sério a determinação de investir em “conteúdos diferentes” ?

>>”Trocar e conversar” é o que efetivamente o sistema Globo  tem cultivado em suas relações com o mundo acadêmico ???

Em sua “Breve definição de jornalismo”, o Grupo Globo afirma que o jornalismo é “uma forma de apreensão da realidade”. No caso da Globo, resta saber  como a realidade é formatada pela emissora (do ponto de vista estético), inclusive nos aplicativos, e se o papel da universidade é o de referendar eternamente este formato, ainda que em troca de algumas migalhas.

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *