Para Guilherme Mendes as ações da prefeitura na Cracolândia indicam desejo de higienizar a região.

 

“É preocupante o posicionamento da atual gestão sobre a Cracolândia, não se trata apenas de uma questão estética.” Esta é a opinião do estudante de Jornalismo da Pontifícia Universidade Católica, PUC, Guilherme Mendes, 19, sobre a política do prefeito João Dória Júnior de combate ao uso de crack nas ruas da região central de São Paulo.

O estudante foi entrevistado sobre a atual gestão da capital.

Para Mendes, as ações de Dória na Cracolândia, que estão dentro do programa Cidade Linda, mostram “apenas soluções de aspectos ligados à aparência de certos pontos da cidade e não a uma questão humanitária”. “Ao meu ver, se trata de uma política de higienização”, completa.

Ainda sobre o Cidade Linda, o estudante da PUC critica o prefeito por ele ter se vestido de gari ao lançar o programa: “Dória de certa forma precisava se aproximar da população e teve uma atitude extremamente populista e midiática”.

Outro assunto abordado durante a entrevista foi a questão da farinata, apelidada pelos críticos de “ração humana”, criação de Dória para combater a fome em São Paulo. Para o estudante tal intervenção “mostra a total despreocupação com a questão humanitária na cidade”.

Finalmente, Mendes comentou sobre as viagens que o prefeito tem feito pelo país, o que no meio político está sendo visto como campanha de Dória para as eleições de 2018 à presidência. Se eleito, Dória deixaria a prefeitura na metade do mandato. “Quem mais perde com essa forma descompromissada de governo é o munícipe”, conclui o estudante.

Leave a Reply