Qual a diferença entre uma casa velha e uma galeria de arte? Com paredes marcadas com estêncis e cores vibrantes, em uma rua de boêmia e ornamentada por grafites, na Vila Madalena, a Galeria Choque Cultural se estabelece como referência na arte urbana, mas sem a preocupação de, entre suas obras expostas, tentar esconder sua cozinha atrás dos quadros ou a lavanderia do caminho para os lambe-lambes coletivos.



A exposição de arte é realizada na casa de dois andares e exatos cinco cômodos, com cartazes grudados na parede, pinturas, colagens, projeções e estêncis escritos à mão. Entretanto, as obras não apresentam o nome dos seus artistas. De acordo com o site da Choque: "Seus projetos de arte no espaço urbano se dão em espaços não convencionais e em instituições museológicas não tradicionais. A intervenção urbana tem de ser algo coletivo".



A irreverência da Galeria e sua casualidade refletem em sua arte e conceito, bem como em seus funcionários. Flávio Gaze, vendedor de pôsteres da lojinha da Galeria, disse ter comprado mais de trinta adesivos de artistas e os distribuído pela cidade: "A poesia tem que tomar conta do nosso caminho. Eu gosto mesmo é dessas paredes coloridas bem loucas, não da rotina cinza e rasa".

A arte livre e a sinceridade de uma galeria que mais parece um sobrado. Um ateliê de exposições coletivas de jovens artistas em prol da arte urbana, com protestos em cartazes e a tentativa de ilustrar São Paulo. O Choque Cultural é a surpresa da existência de um ateliê tão empenhado pela arte, mas sem seu esnobismo. Afinal, este seria seu lema: "Arte a Cidade e o Choque".



Informações Galeria Choque Cultural
R. Medeiros de Albuquerque,250
Vila Madalena
(11)999852201
www.choquecultural.com.br

Leave a Reply