Foto: Isabella Sedano

Por Isabella Sedano e Gabriel Latorre


Fotografia não é o que se espera encontrar no Museu de Arte Sacra de São Paula, porém cada vez mais vêm ganhando espaço. Acreditava-se que os retratos eram apenas ilustrações dos objetos e não uma forma de rate, pensamento que vem mudando ao longo dos anos.

O fotógrafo de Tocantins Daniel Taveira apresenta sua obra "Filhos de Deus" e conta quais foram sua intenções ao retratar tão de perto pessoaque que, aparentemente, eram comuns "quis mostrar ao mundo que independente da sua raça, cultura crença, orientação sexual, nível social ou cor, você é por natureza um filho ou filha de Deus".

  Foto: Gabriel Latorre

A pobreza, a indiferença, a peculiaridade e até mesmo a semelhança são retratadas e dispostas igualmente pelo espoço, reforçando a ideia de Taveira de que todos são iguais, independente de qualquer coisa.

As 22 obras estão expostas na estação Tiradentes, linha azul do Metrô, local cedido ao Museu de Arte Sacra para abrigar exposições itinerantes. A mostra chegou ao local no dia 26 de janeiro e não tem data prevista de encerramento. O espaço é de grande circulação por ser de fácil acesso à todos os usuários do Metrô.

  Cada fotógrafo tem seu jeito específico de analisar ambientes e tradições, visto assim, o raciocínio da fotografia assemelha-se à uma frase do filósofo alemão Arthur Schopenhauer: "A tarefa não é tanto ver o que ninguém ainda viu, mas pensar o que ninguém penseusobre algo que todos veem.", ou seja, com os diferentes pensamentos sobre o mundo, diferentes visões de lugares e pessoas, podem transformar o modo de ver de todos para sempre.    

Leave a Reply