Prounistas elaboram documento para garantir direito à greve

Dando continuidade na cobertura sobre a situação dos Prounistas na PUC-SP divulgamos a carta que será entregue ao Setor de Administração de Bolsas de Estudos- SABE, pedindo que nenhum bolsista seja prejudicado junto ao MEC por causa da greve em andamento na universidade.

segue:

Os representantes discentes da Comissão Local de Acompanhamento e Controle Social do ProUni – COLAP em nome dos alunos bolsistas do ProUni, vêm, respeitosamente, por meio deste, apresentar ao Setor de Administração de Bolsas de Estudos- SABE, o presente Termo de Compromisso, instrumento que tem como finalidade obter expressamente o posicionamento do referido setor em não permitir que os bolsistas do Prouni venham a ser prejudicados devido as atividades de greve, caso as notas e demais meios de avaliações não sejam cumpridos conforme determina o calendário acadêmico.

1. Dos fatos

No dia 13 de novembro, o Cardeal Dom Odílo Pedro Scherer, nomeou como reitora da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo – PUC-SP, a professora Doutora Anna Maria Marques Cintra, terceira e última colocada em pleito realizado nesta universidade. No entanto, salienta-se que um documento subscrito pela professora, que havia trazido tranquilidade a comunidade acadêmica graças ao comprometimento que assumiu de não aceitar a nomeação do cardeal caso não fosse a mais votada no pleito, foi desrespeitado, o que deflagrou uma eminente insatisfação por parte dos professores, alunos e funcionários da da comunidade acadêmica desta universidade..

2. Da greve

Após a ocupação da reitoria realizada no dia 13 de novembro pelos estudantes contrários as decisões do Cardeal e sucessivas assembléias organizadas por toda a comunidade da PUC-SP, foi decretada a greve geral com a anuência dos três setores da universidade quais sejam: professores, alunos e funcionários.
Dessa forma, com a adesão de alguns departamentos, a orientação respaldada pelos professores foi a de paralisarem as atividades e o calendário acadêmico, o que, por sua vez, justifica a não aplicação de provas, entrega de trabalhos e o não lançamento de notas no portal acadêmico.

3.Da exigência do Ministério da Educação – MEC

Segundo a representante do Setor de Bolsas, Idelma da Costa Azevedo, o Ministério da Educação – MEC exige que as notas dos alunos sejam enviadas até o dia 10 de janeiro, sem a qual, não será possível a renovação automática da bolsa dos estudantes prounistas, o que poderá acarretar o cancelamento da bolsa dos mesmos.

4.Compromisso de não lesão aos bolsistas do ProUni devido as atividades da greve

Diante dessa constatação, no início da noite de segunda-feira, dia 26/11/12, em conjunto, nós estudantes bolsistas do ProUni que integramos o coletivo de prounistas da PUC-SP – o ProUni-SE!, após nos encontrarmos com o Pró-Reitor de Cultura e Relações Comunitárias, Hélio Deliberador e com o Setor de Administração de Bolsas – SABE, resolvemos requerer por meio deste instrumento que o Setor de Administração de Bolsas justifique a ausência das notas dos alunos bolsistas para o Ministério da Educação – MEC, caso não cessem as atividades de greve até o dia 10 de janeiro de 2013 e não conste notas lançadas no portal acadêmico. Sendo assim, tal justificativa elaborada para o MEC deverá conter as explicações devidas, mencionando a situação excepcional que a universidade se encontra, e que, em decorrência disto, nenhum bolsista do ProUni deverá ser prejudicado.

 

Leave a Reply