O que fazem os tais influenciadores financeiros

Ajudam a combater ou agravam problemas reais da educação monetária brasileira?

Ajudam a combater ou agravam os problemas reais da educação monetária brasileira?

Por Dora Scobar

Os influenciadores digitais tratam dos mais diversos assuntos, de astrologia a educação financeira. Os chamados digital influencers, no termo difundido em inglês, ganharam um espaço relevante na produção de conteúdo e informação, voltados principalmente ao público jovem.

O nicho dos influenciadores financeiros conquistou um destaque na mídia após a explosão do ‘Caso Bettina’,  funcionária da Empiricus e protagonista da campanha, chamou a atenção das redes sociais por promover a evolução de seu patrimônio. A jovem “Tia Patinhas” brasileira virou chacota após afirmar, em vídeo no Youtube, ter conseguido transformar R$ 1,5 mil em R$ 1,42 milhão no período de apenas três anos. A polêmica resultou numa multa do Procon aplicada à empresa, por propaganda enganosa.


(Foto: Reprodução/Twitter)

A falta de nitidez entre informação e propaganda, no entanto, não é uma exclusividade dos vídeos de Bettina. Por haver interesses comerciais nem sempre evidenciados, encontrar um youtuber de confiança para uma questão tão cara, com perdão do trocadilho, nem sempre é fácil.

Leonardo Alcântara, 21, estudante de Administração na Universidade Presbeteriana Mackenzie diz que costuma escolher o conteúdo que vai consumir baseando-se no número de views, curtidas e, se houver, pelo contrato com uma corretora como atestado de credibilidade.

“Assisto o Primo Rico e o Me poupe!. Eu acredito que é mais fácil de entender algumas coisas sobre o mercado financeiro, porque eles têm um jeito de passar informação mais fácil”, diz Leomardo. “Mas você tem que saber filtrar o que você assiste, porque tem muita besteira”, ele completa.

A técnica de Leonardo parece ser a mais confiável desenvolvida até agora para lidar com um mercado formado há tão pouco tempo. O prêmio Influenciadores Digitais concedido pela Cecom (Centro de Estudos da Comunicação) em parceria com o portal Negócios da Comuncação diz, em seu site oficial, que o critério de avaliação usado para escolher os concorrentes à premiação é uma avaliação de métricas de audiência, influência e relevância. Tudo ainda é muito subjetivo nesta análise.


Leandro Prado é instagramer e se autointitula ‘Coach de Finanças’. Em sua bio na rede social, define: ‘a única forma de transformar a sua vida financeira e conseguir os resultados os resultados que deseja é mudando a maneira como pensa. Você precisa entender a lógica do dinheiro e como aplicar isso em sua vida’. É uma propaganda tentadora.

Questionado sobre as dúvidas que eu recebe, o produtor de conteúdo divide-as em duas categorias. A primeira é um assunto que está em alta, que é o investimento. “ As pessoas querem saber como começar a investir, onde investir, como perder o medo”, descreve.

O segundo maior motivo de engajamento no canal é o desejo de quitar dívidas e conquistar algumas metas. “Às vezes a pessoa não tem dinheiro porque não consegue economizar, não sabe lidar, não consegue se organizar ou administrar um planejamento pra isso.”

“Eu sou basicamente um treinador’, afirma ele e completa dizendo que faz é “praticamente é ajudar as pessoas a investirem, conquistarem metas, sonhos delas através de uma mudança de mentalidade”.

O que motivou Leandro a se tornar um coach financeiro foi justamente notar, depois de uns anos estudando a vida financeira, que as pessoas têm“ muita dificuldade em lidar com o dinheiro delas”. Ainda, segundo ele, o reflexo disso é que “a maioria das pessoas trabalham pelo dinheiro, ainda não sabem fazer o dinheiro trabalhar por elas e acabam vivendo uma incerteza”.

Leave a Reply