Serviços voltados à terceira idade crescem e se diversificam

Envelhecimento da população brasileira inspira cada vez mais novos negócios

Por Amanda Pucci

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou que a população acima de 60 anos representou, em 2018, 13,5% do total e projetou que, em 2027, a participação da terceira idade será de 17,4% e, em 2050, de 29,3%.

Com o aumento do percentual de idosos no Brasil, assim como da expectativa de vida, surgem novas oportunidades de negócios. O sucesso das empresas voltadas para a terceira idade, no entanto, depende muito do estudo das necessidades e interesses desse segmento da população.

Hoje, com a evolução da medicina e até da tecnologia, o perfil da pessoa acima de 60 anos mudou significativamente. Muitos ainda estão no mercado de trabalho, praticam esportes, cuidam da saúde física e mental e se mantêm ativos.

Diversas empresas e franquias já desenvolveram serviços que atendem essa faixa etária e a tendência é que a cada ano aprimorem esses serviços. Aulas personalizadas e focadas em prevenção de quedas, autonomia física, aumento da força muscular, mobilidade e capacidade aeróbica representam um nicho em ascensão.

Fonte: Getty Images

“Chegar à terceira idade, hoje, é como prolongar a juventude”, diz Yurico Nakabara, de 68 anos. Ela faz parte de uma das turmas de pilates da academia Vincere, com aulas específicas voltadas às pessoas com 60 anos ou mais. “Ficar dentro de casa com a mesma rotina todos os dias não faz parte da minha vida. Gosto de sair e me movimentar”, conta.

Inaugurada em 2015 em Moema, a academia é destinada para o público com idade acima de 40 anos, e mantém atividades que podem ser combinadas com um profissional que orienta sobre reeducação alimentar e um fisioterapeuta que acompanha os movimentos de cada aluno. Os pacotes ficam em torno de R$ 498 por mês.

Academia Vincere. Fonte: Reprodução.

Como Yurico, 30,2 milhões de brasileiros estão na terceira idade. Baseando-se nesse cenário e nas perspectivas de envelhecimento da população, o mercado especializado para produtos e serviços à terceira idade só tende a crescer.

Cursos para idosos, considerando seu ritmo de aprendizado, são cada vez mais procurados. Aulas de línguas estrangeiras e informática, por exemplo, são de grande utilidade para um público que quer ficar cada vez mais conectado e também conhecer outros lugares do mundo.

A parcela da população de idosos que usavam a internet cresceu 25,9% de 2016 para 2017, de acordo com o IBGE,  mas a ideia não é apenas navegar pela rede. Um dos serviços mais utilizados pelos idosos são os pacotes de viagens. Grandes empresas de turismo já oferecem esses serviços, e outras agências especializadas vêm surgindo cada vez mais.

Fonte: Getty Images

O jornalista especializado em envelhecimento populacional Jorge Félix explica que, nas classes mais baixas, os idosos gastam mais com saúde e a família. “Os recursos da pessoa idosa estão sofrendo uma transferência intergeracional. Mais de 60% dos idosos são a pessoa de referência nos domicílios.” Já nas classes mais altas, os gastos são direcionados ao lazer, mais especificamente para as viagens. “Tendo um poder aquisitivo maior, a pessoa idosa vai de fato aproveitar a aposentadoria, não vai precisar continuar trabalhando. E pode todo mês pagar uma parcela de uma viagem que queira fazer”.

Excursão realizada pela agência com um grupo da terceira idade. Fonte: Reprodução Pastore Turismo.

De acordo com Maurício Pastore, diretor da Pastore Turismo, há muitos casais de idosos que viajam, mas a maioria dos passageiros que integram as excursões vão sozinhos. “Desses, 90% são mulheres. Muitas são viúvas, mas há também as casadas que viajam sozinhas porque o marido não gosta de sair.”

Diante de tantos serviços surgindo, Félix alerta: “É essencial que as empresas entendam a necessidade da pessoa idosa. Pesquisem sobre o consumidor e desenvolvam produtos que vão atender a terceira idade de forma efetiva.”



Leave a Reply