Por Marcos Dakota

Esse relato começa quando Alexandre e a Mari mudam de casa, depois de anos estagiando numa agência de publicidade, Alexandre finalmente tinha alcançado seu ideal financeiro, mudou-se para um condomínio fechado, onde poderiam ter um pouco mais de conforto, segurança e lazer, o condomínio era daqueles que não tinha muros que dividiam os terrenos, que proporcionava uma certa liberdade para os moradores.

Eles namoravam fazia uns 3 anos e, no último ano, a família cresceu, eles adotaram um filhote de rottweiler. Depois de um ano já pesava quase 60 quilos, o que causava um certo medo, apesar de ser dócil, parecia uma verdadeira máquina de matar.

No dia da mudança, o Alexandre deixou o cachorro solto, pois antes moravam num lugar com menor espaço e agora até o cachorro poderia desfrutar de mais liberdade para correr e brincar. Já nos primeiros minutos, descobriram que seus novos vizinhos tinham um cachorro também, um poodle miniatura. Descobriram porque o Bob, pesando pouco mais de 4 arrobas, correu atrás do mini cachorro do vizinho, Bob conheceu a coleira, seus de liberdade tinham chegado ao fim.

Algum tempo passou e, um dia, Mari sozinha em casa percebe que os vizinhos estavam viajando, vê problema em deixar o Bob solto. Ele ficou feliz da vida, passou o dia inteiro correndo e brincando.

No fim do dia, o Bob estava exausto voltando pra casa, com o poodle morto todo sujo de terra em seu focinho, Mari entra em pânico, Bob matou o cachorro do vizinho e, quando eles descobrirem, vão chamar a carrocinha pra sacrificar, o cachorro é um assassino.

Até que a Mari teve uma ideia:

–Vamos lavar o cachorro e colocar na casinha dele, quando os vizinhos voltarem, vão achar que teve um infarto, sei lá.

Mari lavou o poodle morto no chuveiro e secou com o secador de cabelo, Alexandre não chegava nem perto, para era inconcebível lavar um animal morto, Mari colocou o poodle na casinha em formato de bolinha, como se estivesse dormindo mesmo.

Na manhã seguinte, os vizinhos chegam de viagem, e fazem a rotina, abrem janelas tiram as coisas do carro. Em poucos instantes começa uma gritaria na casa dos vizinhos.

–MEU DEUS!!! COMO ISSO PODE ACONTECER?! ISSO É COISA DO SATANÁS!!!

Na casa do Bob, Alexandre diz pra Mari ir na vizinha, perguntar se está tudo bem, mesmo sabendo o porquê da gritaria. Mari vai, toca a campainha e logo a vizinha abre a porta, um tanto transtornada.

–Está tudo bem? Eu vi que vocês chegaram e teve uma gritaria, está precisando de alguma coisa? Pergunta Mari.

Rapidamente a vizinha responde: –Meu, você não vai acreditar, o nosso cachorro morreu há 4 dias, nós enterramos ele e fomos viajar. Hoje quando voltamos ele está limpinho, deitadinho na casinha como se estivesse dormindo, mas está morto…como ele se desenterrou? Como está tão limpo, Será que enterramos o cachorro vivo?

Mari volta pra casa e conta pro Alexandre que provavelmente o Bob tinha desenterrado o poodle morto. Alguns meses depois os vizinhos venderam a casa, preço baixíssimo…aquele lugar guarda um segredo…

Que só Alexandre, Mari e Bob sabem.

Leave a Reply