Por Laura Augusta

O Sistema Único de Saúde (SUS) é um sistema com objetivo e capacidade de atendimento a todas as pessoas, desde o pré-natal até uma terceira idade, com o maior apoio parcial de um exame de execução ao transplante de órgão. Unidades de contentores é uma plataforma universal, integral e gratuita para todos. Sendo assim, é um dos principais sistemas de saúde pública mundial, que visa a prevenção e melhora da saúde. A partir da pressão de um movimento de defesa da saúde ao longo do Congresso Nacional tornou-se um direito constitucional de todos os brasileiros. Como garante a lei, a lei de direitos e deveres do Estado, garante as políticas sociais e as políticas de redução de risco de doença e agravos e o acesso universal e exclusivo às ações e serviços para a promoção,

Os serviços de saúde humana com assistência humana são de ajuda em saúde, em saúde, em empresa, em empresa, em empresa. that indexe or mais or menos 25% de controle e controle nos territórios e os municípios que contribuem com uma outra parcela dos gastos.

O grande problema é que a prática do sistema não funciona de forma tão plena, o subfinanciamento é um desafio elevado a ser superado que está presente desde a sua criação na Constituição de 1988, já que o momento da sua existência está relativamente instável. Hoje em dia os problemas se aprofundaram por uma menor participação da União na implementação de um programa de prestação de serviços, e a falta de verba leva a um sistema decadente e precário que nem sempre pode atender às necessidades da população, o que se coloca em com a sua proposta.

Além disso também vemos que a demanda aumentou enquanto os serviços se mantiveram com a mesma escala. Há carência de medicamentos, que muitas vezes não são dispostos de forma rápida e nem em quantidades adequadas. Temos também a escassez de leitos, é comum vermos os corredores dos hospitais tomados por macas precárias, onde os pacientes dormem, comem e recebem medicamentos, convivendo com diversas situações podendo estar expostos a outras doenças até mais graves do que a que já possuem, além de infecções. Em outros casos muitos acabam tendo que recorrer ao atendimento privado, e uma vez que nem todos tem condições financeiras para arcar com os custos acabam muitas vezes à beira de qualquer atendimento, sendo negligenciados podendo em casos extremos irem a óbito, um fato incongruente com a realidade da lei, já que nela é colocado como obrigação da saúde pública oferecer internação aos pacientes.

O Estado brasileiro se coloca desta forma como “juiz, júri e carrasco”, negando a oportunidade de todos viverem dignamente, sucateando a saúde e colocando a população necessitada de lado. Privando os menos afortunados de medicamentos e cuidados que sejam comprovadamente capazes de gerar a diferença entre a vida e a morte, encurtando muitas possibilidades de existência e furtando um direito fundamental, o direito a vida. Sendo assim notamos que o Estado se omite, abandonando a população a própria sorte sem assegurar uma assistência social, violando o direito do consumidor e o direito constitucional a vida.

O que os brasileiros podem e devem fazer é exigir que seus direitos sejam realmente efetivados, buscando maiores possibilidades de uma vida digna e atendimentos amplos e necessários que se façam realmente presentes no cotidiano, diminuindo filas, descaso, desacompanhamento e reduzindo o sofrimento dos brasileiros que desejam apenas uma saúde pública eficaz.

Leave a Reply