Foto: Divulgação

Por Bianca Caetano

A UBS “Dr. Atualpa Girão Rabelo” é uma unidade de posto de saúde e pronto socorro, apta a prestar serviços de Atendimento Básico de Saúde aos moradores na região do bairro Itaim Paulista, extremo leste da cidade de São Paulo. Após permanecer algumas horas na unidade hospitalar e observar atentamente o fluxo do ambiente, foi possível notar com facilidade o estado precário em que encontra – se o ambulatório. Os moradores dos quais iniciei uma conversa,relataram a escassez de remédios e a ausência de médicos, que provocam horas exaustivas de espera em filas enormes. Cabe ressaltar que em dias incomuns, como a noite deste domingo (10) e manhã desta segunda (11), quando ocorreram fortes chuvas deixando vítimas e pontos de alagamentos e enchentes por todo estado, há uma busca massiva por atendimento que geralmente costumam demorar o triplo do tempo “normal” ou muitas vezes não acontecem, deixando explicito o descaso com a população de menor poder aquisitivo.

Durante a madrugada crianças, jovens e adultos aguardam seus nomes serem chamados por enfermeiros para serem encaminhados a triagem, um procedimento que antecede a consulta com o médico para designar as áreas em que cada pessoa deve ser atendida. Gestantes, deficientes físicos e idosos recebem senhas preferenciais, todavia a espera demora tanto quanto para outras pessoas. Por não haver a presença de mais de um médico no ambiente o resultado é a demora constante e um encaminhamento para um só clinico geral, sem especialidades ou cuidados individuais.

Enquanto aguardam, os cidadãos presenciam cenas lamentáveis como o mal-estar de outros indivíduos, fraturas expostas, desmaios, choro de bebês e crianças ou até moradores de rua deitados em bancos por não terem onde dormirem ou somente tentando esconder se da chuva, entre outras situações constrangedoras Algo atípico que chamou a atenção foi a chegada da Polícia Militar, acompanhando um suspeito ensanguentado e algemado, segundo os oficiais tratava-se de um menor de idade que havia tentado roubar uma residência e ao pular o muro se machucou e por não poder ser encaminhado diretamente a delegacia sem devidos cuidados médicos,deveria aguardar.

Outrossim, mães em atos desesperados em reflexo da demora do atendimento para com seus filhos brigavam em gritarias com as recepcionistas e enfermeiros com intuito de obter a consulta rápida ou as devidas medicações. Quando finalmente passam pela consulta, enfrentam outra espera para serem medicados. Dependendo do caso não há materiais ou leito que possam manter o cuidado e bem-estar do paciente de maneira correta, nesses casos são necessárias a transferência de hospital. Em virtude dos fatos mencionados, infelizmente são notórias as discrepâncias entre classes sociais refletem em direitos básicos da sociedade. Os indivíduos moradores de regiões menos favorecidas não possuem a aplicação de seus direitos básicos. Portanto, essa narrativa demonstra o resultado direto de uma má distribuição de verbas governamentais, e olhares empáticos em relação a regiões desprovidas de atenção e carregadas de ignorância.

Leave a Reply