Exposição “Claudia Andujar: A luta Yanomami” vai até domingo no IMS

Por Gabriela Neves

A jovem Susi Korihana thëri em um igarapé, filme infravermelho. Catrimani, Roraima, 1972-1974. Foto – Claudia Andujar

Claudia Andujar é suíça, morou nos EUA, e veio para o Brasil em 1955. Sem falar português, passou a fotografar como forma de comunicação. Ganhou uma bolsa da Fundação Guggenheim e foi morar com os Yanomami, nos estados de Roraima e Amazonas, para onde voltou durante muitos anos para fazer seus trabalhos fotográficos. Nas sucessivas viagens entre os anos 1970 e 1980, teve a oportunidade de registrar o cotidiano indígena, os rituais xamânicos e o processo de invasão das terras desses povos durante o governo militar, quando as doenças e a violência quase dizimaram essa população.

Os principais registros fotográficos dessa caminhada estão na exposição “Claudia Andujar: A Luta Yanomami”, no Instituto Moreira Salles Paulista desde o dia 15 de dezembro de 2018.

Com poucos recursos de iluminação, Andujar utilizou também o filme infravermelho para obter vários ângulos e vistas dos Yanomami. Suas fotos e sua militância durante treze anos contribuiram para a criação do Parque Yanomami, homologado em 1992.

Serviço

Duração: até 7 de abril de 2019

Localização: Avenida Paulista 2424, São Paulo/SP

Horário: Terça a domingo e feriados (exceto segunda), das 10h às 20h. Quinta, exceto feriados, das 10h às 22h

 

 

Leave a Reply