Por Carolina Faita, Giovanna Pereira e Jennifer Dias

A Ginástica Acrobática teve a sua origem há milhares de anos

atrás: há indícios de suas aparições no Egito, Grécia e Roma mas foi

apenas no século XX que a modalidade se começou a expandir,

designadamente nos países de leste. Em 1934, na antiga URSS,

realizou-se a primeira competição formal.

Em 1973, foi criada a Federação Internacional de Desportos

Acrobáticos (IFSA – International Federation of Sports Acrobatics),

passando a estar incluída no programa dos Jogos Mundiais, um grande

evento internacional no qual competem atletas de modalidades não

olímpicas.

A seguir, temos uma entrevista com Deise Turbay Garcia, coordenadora do comitê técnico de ginástica acrobática. Onde ela comenta sobre a invisibilidade do esporte no seu ver.

 

É uma modalidade de grande exigência física e técnica, com a

particularidade de exigir também aos seus praticantes uma boa

expressão artística e ritmo . É praticada ao som de música, em

pares (femininos, masculinos ou mistos) e grupos de ginastas (trios

femininos e quartetos masculinos). Estes podem ter idades e estaturas

diferentes, dividindo-se entre bases e volantes. Os bases são

normalmente mais velhos, altos e fortes e servem de apoio aos volantes,

com uma estrutura física mais leve.

Os exercícios de Ginástica Acrobática são realizados num tablado

de competição (com placas de amortecimento) com uma dimensão total

de 14x14m, com a área de competição visivelmente delimitada de

12x12m, havendo uma zona de segurança recomendada de 2 metros em

torno de todo tablado.

Na entrada do tablado, todos os pares e grupos devem dirigir-se

para o local onde vão iniciar as suas respectivas séries, onde realizam

uma apresentação simples, rápida para o público e para os juízes. Nessa

ginástica e obrigatório uma coreografia, mas ela se difere pois não e feita

especialmente para os jurados e a plateia, mas sim da movimentação

com o ritmo enquanto tocada.

Nas provas de Ginástica Acrobática, cada painel de juízes é constituído

por:

– 1 Chefe de Painel de Juízes (CPJ)

– 1 Juiz de Dificuldade

– 4 Juízes de Execução

– 4 Juízes de Artística

– 1 Juiz de Linha (opcional)

– 1 Juiz de Tempo (opcional)

Na Ginástica Acrobática, existem as seguintes categorias:

  • – Par Feminino, constituída por dois elementos do sexo feminino, um base e um volante.
  • – Par Misto, constituído por um elemento base do sexo masculino e um volante do sexo feminino.
  • – Par Masculino, constituído por um base e um volante do sexo masculino.
  • – Grupos Femininos, constituídos por 3 elementos do sexo feminino: Dois são bases e o outro é o volante.
  • – Grupos Masculinos, constituídos por quatro elementos do sexo masculino, dos quais três são bases e um é volante.

Os ginastas podem realizar 3 tipos de exercícios: Estática, Dinâmico e Combinado, todos com características diferentes. Nestes três exercícios, os ginastas são avaliados em três vertentes: dificuldade, artística e execução.

Para deixar mais claro o que é a ginástica acrobática, a seguir um vídeo demonstrando um pouco mais sobre a ginástica acrobática:

Leave a Reply