Vista de Perdizes. (Foto: Wikipedia)

Por Bruna Carmagnani

Morar em São Paulo requer de nós coragem, paciência e uma pitada de senso de humor para lidar com as adversidades do seu dia a dia.Todavia, eis um refúgio na Zona Oeste da cidade de São Paulo denominada Perdizes.

Perdizes é um bairro de ladeiras e subidas dividido preferencialmente pela avenida Sumaré, de modo que os próprios moradores para se localizarem aos outros falam: “ Moro deste lado da Avenida” .É confuso em que momento se inicia Pompéia e termina Perdizes ou onde se inicia Sumarezinho e termina Perdizes e no fundo, para os corretores imobiliários.Todos eles se aglomeram em Perdizes.

A PUC-SP fica em Perdizes e eu moro do lado de cá da Avenida junto da PUCSP. Minha avó, minha irmã e meus pais todos moram do lado de cá da avenida e perto da universidade. Perto de todos, temos a estação Barra Funda da linha 3 vermelha do metrô e o Parque da Água Branca, refúgio de galinhas e galos soltos.

O local fica bem perto da estação e lá comporta parquinhos, fontes, cursos dados de graça pelo Estado, uma mistura de gente e idades junto com a base hípica da Polícia Militar (o vigésimo terceiro batalhão se encontra na rua da minha casa) tornam o local único e gostoso para se passar manhãs e tardes de sol.

Quando alguém fala que mora em Perdizes, estereótipos prontos aparecem, algo como “riquinha, playboy” porém o bairro tem seus problemas. As ruas possuem buracos no asfalto e não pode chover um pouco mais forte que acaba a luz do bairro e por um longo tempo. Apenas alguns prédios possuem gerador por andar e fazem sentirmos inveja na nossa luz de velas enquanto eles têm a eletricidade a vontade.

Por final, me vi nascida e criada nesse bairro que mesmo com o meu pulmão de fumante que não aguenta as subidas e descidas, trocaria por outros e pela facilidade de poder ir a pé até a faculdade, comer pastel da feira toda terça feira pós aula e fazer feira.

Leave a Reply