Por Leonardo Pratt e Raul Vitor

Criada em agosto de 2008 pela Liga Nacional de Basquete, o Novo Basquete Brasil, mais conhecido pela sigla NBB, cresce a cada temporada. Para ter uma melhor compreensão deste crescimento, em 2014, a NBA e a NBB realizaram uma parceria inédita para ampliar o desenvolvimento do basquete no país, através de amistosos e ações que melhoraram a gestão do produto NBB no Brasil.

Em 9 edições, 2,5 milhões de fãs já assistiram um jogo nas arquibancadas e ao todo, por ano, são 25 milhões de pessoas impactadas com as transmissões dos jogos pela TV e internet.

Na TV foram mais de 330 horas de transmissões ao vivo na BAND e Sport TV, ocupando um espaço publicitário de mais de 2,9 bilhões de reais. Na internet ocorrem transmissões de live streaming. Na última temporada, por exemplo, 38 jogos foram transmitidos ao vivo pelo Facebook Live. Além disso, mais de 700 mil fãs acompanharam e curtiram posts, vídeos, fotos e entrevistas, diariamente nas redes sociais do NBB, o que mostra um envolvimento ativo dos amantes de basquete.

Para recrutar mais fãs, a cada temporada, a NBB conta com o famoso Jogo das estrelas, considerado o principal evento promocional do esporte brasileiro. De acordo com pesquisa IBOPE, realizada em setembro de 2015, a NBB possui 8,9 milhões de super fãs, que acompanham da mesma forma NBA.

Não há dúvidas que ascensão da NBB seja um indicador do crescimento dos esportes norte-americanos no Brasil, assim como o da NFL. De setembro a fevereiro, quando ocorre a temporada de futebol americano profissional nos Estados Unidos, uma parte cada vez mais relevante da audiência dos canais de TV por assinatura se concentra neste esporte.

A detentora dos direitos de transmissão da NFL no Brasil, a ESPN, afirmou que o interesse pelo esporte da bola oval cresceu 78% de 2014 até 2017. Na final da liga em 2017, o Super Bowl LI, mais de 754 mil pessoas assistiram o jogo, sendo que cada espectador ficou, em média, cerca de 1h32 acompanhando a partida. O aumento no interesse pela NFL é tanto que a própria liga divulgou um estudo que colocava o Brasil como o segundo maior mercado do esporte fora dos Estados Unidos, perdendo apenas para o México.

No fim de 2016, dado a grande procura do brasileiro pelo esporte, a NFL criou contas totalmente em português nas redes sociais. Hoje, já são mais de 217 mil seguidores no Instagram e cerca de 105 mil no Twitter.

Enquanto a NFL não vem para o Brasil (algumas partidas vêm sendo jogadas em Londres e na Cidade do México), o número de brasileiros que vão aos jogos nos Estados Unidos também aumenta. Segundo a StubHub, mercado americano de ingressos, o Brasil foi o 4º país – fora os EUA – que mais comprou ingressos para o Super Bowl deste ano, com 3,5%, ficando atrás de Canadá (58,3%), México (24,3%) e Austrália (4,2%).

Leave a Reply