USP oferece curso sobre oceanografia aos domingos

Mais de 200 pessoas terão aulas gratuitas sobre o universo dos mares

Por Thiago Felix

A USP (Universidade de São Paulo) iniciou no dia 16 de setembro o curso Noções de Oceanografia. Realizado  há 24 anos, o curso é ministrado em São Paulo e Santos, e tem pelo menos três edições anuais.

Em oito encontros, sempre aos domingos, conta com uma série de palestras: física, química, geografia e biologia. Todos os inscritos recebem apostilas com resumos dos encontros. Com 85% da presença o aluno recebe um certificado.

Os encontros têm duração de quatro horas, das 9h às 13h, no auditório do Instituto de Oceanografia. Ao término do curso os alunos podem participar de uma excursão que dura três dias para uma das bases do Instituto Oceanográfico, situadas no litoral de São Paulo.

Embora as aulas sejam gratuitas, a excursão é paga. Durante os dias do passeio os alunos participarão de uma espécie de trabalho de campo e saídas de barco. Apenas maiores de idade podem se inscrever para a viagem.

A matrícula é realizada por ordem de inscrição até o número de vagas oferecidas (240), e deve ser feita exclusivamente online, pelo portal do Instituto de Oceanografia.

O curso é muito interessante, nos oferece uma visão generalista do tema, com isso pode ou não aumentar nossa curiosidade e buscar mais informações ”, diz Ariane Lima, 20 anos, que realizou o curso em 2015.

A inciativa tem como objetivo ampliar a visão do público sobre a oceanografia, principalmente para os vestibulandos que estão decidindo qual carreira seguir. Durante as aulas são divulgados os métodos, novos estudos e áreas de atuações importantes para a compreensão do que é a oceanografia e o que ela estuda.

Responsável pela organização, o professor Joseph Harari, é o atual responsável pelo conteúdo ministrado e por fazer esse estreitamento entre a sociedade e a oceanografia.

De acordo com dados de Harari, 20% dos estudantes que ingressaram no curso de oceanografia passaram pelo curso antes de se matricularem. O estudo dos mares, segundo ele em entrevista para o jornal da USP, o estudo dos mares é atrativo para os jovens e a sociedade em geral, mas é necessário que eles estejam cientes disso, essa é uma das razões da existência do curso.

“Fiz o curso, apenas por curiosidade, sou mergulhador profissional, e conhecer mais sobre o oceano me deixa fascinado. Conhecer mais sobre o funcionamento do oceano e suas particularidades foi muito bom. Fiquei até com vontade de voltar a estudar”. Lembrou Carlos André, 45, que fez o curso em 2015.

As aulas contam com aproximadamente 14 professores do Instituto de Oceanografia diretamente envolvidos com o projeto. Cada qual responsável pela divulgação científica de sua especialidade. Uma das palestras conta com a experiência de um engenheiro do Laboratório de instrumentação oceanográfica.

A organização do curso funciona da seguinte maneira: os dois primeiros encontros são dedicados à física e o terceiro, à química. O quarto domingo fica reservado à geologia e os três próximos encontros são dedicados à biologia e à vida marinha. No oitavo e último encontro, há uma aula ministrada no Museu Oceanográfico, sediado no local.

“Nessa aula, pude conhecer na prática como funciona o estudo da oceanografia, com os equipamentos, as técnicas, como é a pesquisa na prática. O que mais gostei foi de descobrir a importância da Antártica para o meio ambiente, o quanto é necessário estudar esse local, até hoje meio desconhecido. Quero ir lá um dia”, diz de Élcio Barbosa, 37 anos, que realizou o curso em 2015.

A excursão é uma atividade complementar, não é obrigatória, por envolver custos ao estudante. O objetivo é observar o funcionamento de equipamentos especializados na prática, as saídas de barcos e conhecer mais sobre a vivência do oceanógrafo.

Foto: Marcos Santos/ USP Imagens

Leave a Reply