População reclama de buracos nas ruas de Mogi das Cruzes

Carro ficou atolado em rua do bairro Botujuru. Prefeitura promete resolver o problema

Por Gabriel França Moutinho Rodrigues Simão

Moradores da rua Adelino Augusto Ferreira, no bairro Botujuru, em Mogi das Cruzes, reclamam do volume de buracos, lama e falta de manutenção na via.

No local, os carros não andam em linha reta. É preciso desviar dos buracos. Pedestres, sem calçada, também andam para lá e para cá. “Os nossos políticos deviam tomar vergonha na cara e olhar para a população. As ruas estão jogadas ao deus-dará”, desabafou a moradora Pamela Rodrigues.

A situação, segundo ela, ficou ainda pior após a conclusão da obra da Rodovia Henrique Eroles. O comerciante Florisvaldo de Jesus utiliza o caminho para ir ao trabalho. Ele diz que os buracos apareceram com o trânsito de caminhões. “Quando chove, alaga e você não tem noção do fundo do buraco para poder passar. Não sabemos a profundidade e o que tem lá dentro, não dá para passar. Só vê água e sujeira, mais nada”, disse. Para amenizar os impactos, os moradores colocaram entulho dentro dos buracos. “Está quebrando o carro, porque ele não feito para isso. A não ser um jipe, que é feito para passar em um local desse. Sempre o motorista fica com o prejuízo”, garantiu o comerciante.

 

Foto: Gabriel França Moutinho Rodrigues Simão

 

O feirante Wesley Oliveira conta que uma vez ficou atolado em outra rua do bairro quando tentava seguir para o centro da cidade de Mogi das Cruzes. “Fiquei sabendo de um caminho alternativo. Optei vir pelo bairro e tive essa surpresa. Nem consegui passar”, contou. Para tirar o veículo do lugar, dez homens ajudaram. O passeio da família foi interrompido e o motorista ainda ficou com o prejuízo. “O prejuízo tinha que ser pago pela Prefeitura”.

O motorista de ônibus de uma das linhas que atendem o bairro precisou mudar o itinerário. “Por causa da chuva o buraco aumentou. O ônibus começou a enroscar no buraco. Fizemos um novo caminho, mas já percebemos que o buraco está começando a afundar também”, contou o motorista da linha 691 – Sabaúna – Via Tronco, Joelson Magalhães.

Quem vive na rua Adelino Augusto Ferreira, diz que a Prefeitura de Mogi das Cruzes nunca foi ver a situação. “Só piora, o bairro está todo bagunçado. Na eleição, tem um monte de político na porta, mas na hora de fazer a manutenção, todo mundo some”, disse Solange Coutinho, uma das moradoras da rua.

 

Foto: Gabriel França Moutinho Rodrigues Simão

 

Na central 156 da Prefeitura de Mogi das Cruzes, responsável pelas informações sobre a infraestrutura da cidade, atendentes informam que, por se tratar de uma zona distante do espaço urbano, é comum que haja buracos nas ruas e mato em excesso pelas extremidades, mas que prometeram registrar as ocorrências. Pedimos para falar com algum supervisor ou algum superior e foi transferida a ligação para os supervisores da área. Informamos que falávamos em nome de todos os moradores da rua, e os funcionários disseram que as obras da rodovia Henrique Eroles na região foram encerradas no final do ano passado. Explicaram também que, durante o período de trabalhos, passaram por esta rua diversos outros caminhões, que pertenciam a outras construções e trechos da região e não tinham qualquer ligação com a rodovia.

A supervisão ainda informou que toda a construção da rodovia tem um plano de tráfego de caminhões da obra assinado com cada prefeitura. A central disse ainda que a Prefeitura de Mogi das Cruzes tinha o compromisso de recuperar os estragos causados pelas obras, desde que comprovado que os danos fossem de sua responsabilidade. Os supervisores informaram também que a Secretaria de Serviços e Manutenção deve programar ações paliativas nas próximas semanas em ruas degradadas pelo excesso de peso de caminhões. Quanto ao mato, disseram que a prefeitura vai incluir a capina do bairro no cronograma de serviços da empresa responsável pela limpeza e manutenção pública.

Leave a Reply