Por Gabriela Testa 

    Contorno do país localizado ao norte da Eurásia, pintado com as cores de sua bandeira.

A abertura e encerramento do Mundial acontecerá na cidade de Moscou, centro político e econômico da Rússia. Segundo historiadores, sua fundação se deu no ano de 1147, ano em que houve a primeira menção escrita sobre a cidade. O registro era de um evento organizado por Iuri Dolgoruki, príncipe da dinastia Riurick, a primeira do Reino da Rússia. A família na verdade tem origem na atual Ucrânia, região na época chamada de Novogorod.

Ao se pensar em Rússia, uma das primeiras palavras que aparecem é Czar, título dado aos imperadores russos. O primeiro dos czares russos é também um dos mais conhecidos. Ivã IV, o Terrível assumiu o trono da Rússia em 1547, aos 16 anos e reinou até a sua morte em 1584. Sua fama se relaciona com a maneira com que ele desenrolou o seu governo e também com a sua história. Quando pequeno Ivã vivia trancado dentro dos aposentos do palácio por ameaças de invasão que vinham de nobres russos muito violentos, os boiardos. Seu primeiro casamento foi com uma lituana. Anastácia Romanov, procurando amenizar o conflito com o país.

Sua primeira esposa era de família boiarda e foi responsável pela dinastia russa mais conhecida. A família Romanov assumiu o poder anos mais tarde por questões sucessórias e governou até 1917 com a Revolução

Catedral do Sangue Derramado, um dos cartões postais da cidade de São Petersburgo (Gisela Cabral)

Russa. Um dos monarcas que esteve no trono por esta dinastia foi Alexandre II, conhecido por suas reformas liberais e modernizantes, incluindo o fim da servidão na Rússia em 1861. Um dos principais cartões postais do país, a Catedral do Sangue Derramado foi construída em memória do assassinato do czar que ocorreu no mesmo endereço.

A dinastia continua sendo até hoje assunto de livros e filmes, principalmente quando se trata da família do último imperador russo, Nicolau II. Quando o monarca assumiu o trono, o país era arcaico em relação ao desenvolvimento capitalista. Por conta da expansão territorial, a dinastia Romanov, o império russo tornou-se extremamente multinacional, com povos completamente diferentes entre si, que muitas vezes não possuíam um sentimento de identidade no país.

Ao contrário de outros países, o Estado russo foi responsável pelo processo de modernização, uma vez que a burguesia era fraca. Nicolau II manteve a tentativa de modernizar a Rússia, porém acabou gerando mais desigualdade no país.

Por conta de uma crise da produção agrícola e um crescimento populacional, cresceu o número de revoltas nacionalistas contra o autoritarismo czarista. Em meio a essa Rússia surge um Partido Marxista, dividido em dois poderes no ano de 1903, mencheviques e bolcheviques. Está é uma parte da história do país sede da Copa mais lembrada pelas pessoas.

Imagem de filme soviético mostra massacre ocorrido durante o Domingo Sangrento (Imagem do filme Devyatoe yanvarya)

As tentativas revolucionárias de 1905, após a guerra russo-japonesa acabou gerando um dos eventos mais marcantes da história do país, o Domingo Sangrento. Depois de uma marcha pacífica que buscava entregar uma petição ao czar Nicolau II, os cossacos ( guardas oficiais ) abriram fogo contra os manifestantes, matando muitas pessoas.

Alguns dizem que esse fato foi um grande ensaio para as famosas Revoluções Russas, também assuntos para grandes obras de literatura e do cinema. A primeira delas, Revolução de Fevereiro ocorreu em 1917, durante a Primeira Guerra Mundial. O então czar Nicolau II abdicou de seu poder, colocando fim à monarquia russa. A partir disso organizou-se um Governo Provisório.

“Todo poder aos sovietes”, frase memorável deste momento. Lênin havia retornado para seu país em busca de uma sociedade igualitária onde os grandes conselhos de trabalhadores pudessem ter voz na Rússia.

A segunda revolução ganhou o nome de Revolução de Outubro, que ocorreu no mesmo ano. O governo provisório perdeu legitimidade e um grupo de revolucionários, liderados por Trotski derrubaram o mesmo.

A partir de 1922 se inicia a formação da popular URSS (União das Repúblicas Socialistas e Soviéticas). Um dos pontos mais conhecidos desta época do país foi a Guerra Fria, estabelecida entre a União Soviética e os Estados Unidos. O país da eurásia buscava implantar o socialismo em outros países enquanto o Estado norte americano defendia a expansão do sistema capitalista.

Entre revoluções, massacres, guerras, impérios e disputas por hegemonia, a história da Rússia chega aos dias de hoje. O atual presidente Vladimir Putin foi reeleito em 2018, indo para o seu quarto mandato no país.

Em 1999 Putin assumiu a presidência após a renúncia do então presidente Yeltsin. No ano seguinte ele foi eleito presidente e governou por dois mandatos consecutivos, de 2000 a 2008. Com o fim do seu mandato ele tornou-se primeiro ministro do presidente eleito Dmitry Medvedev e em 2012 ganhou a presidência novamente. Ele tornou-se o presidente que mais tempo permaneceu no cargo desde o fim da União Soviética.

A história da Rússia hoje também é marcada por escândalos de possíveis espionagens que teriam relação com a eleição do atual presidente estadunidense Donald Trump.

“Nothing is true and everything is possible” é o título do livro de Peter Pomerantsev, jornalista britânico de origem soviética. A obra busca resumir o que a complexa história da Rússia gerou na atualidade do país. Marcada pelo autoritarismo, omissões do governo e grandes revoltas, parece mostrar que de fato, muito não é verdadeiro e que tudo pode ser possível na história deste país.

Leave a Reply