Por Carolina Buzo

É difícil achar quem não goste de um pãozinho francês, principalmente em São Paulo. Talvez seja por isso que as padarias continuem sendo um empreendimento tão popular na cidade. Existe opção para todos os gostos e bolsos, de redes 24 horas a pequenos estabelecimentos familiares, de padarias novas e modernas a padarias tradicionais.

A paixão pelo pãozinho não é o único motivo para a sobrevivência das padarias paulistanas. Nos últimos anos o mercado mudou muito, e em um ritmo tão acelerado que se torna difícil lembrar a época em apenas pães e doces eram vendidos. Atualmente almoçar na padaria se tornou mais comum do que tomar cafezinho. Na padaria Santa Marcela, localizada em Perdizes, e na Lord, em Higienópolis, o carro-chefe não é mais o pão, mas o almoço.

As inovações na indústria panificadora acompanharam a mudança de comportamento do consumidor, que está mais exigente, dando prioridade ao custo-benefício. A Fábrica dos Pães, também em Perdizes, investe na variedade de produtos para agradar o cliente.  Cada uma, a seu modo, achou uma maneira de atrair o consumidor.  A Santa Marcela começou a oferecer almoço há seis meses; a decisão foi tomada após vários clientes pedirem o serviço. Já a Lord tem apostado nos aplicativos.

As novas tecnologias têm modificado não só o modo como às padarias vendem e o que elas oferecem. Na Lord, que foi fundada em 1978 e mantém a instalação predominantemente original, as novas máquinas e tecnologias transformou até o modo como manejam a massa do pãozinho.

Apesar das transformações na indústria, o relacionamento com o cliente não mudou. Na Santa Marcela há clientes que são tão fiéis a seus pães que os funcionários já consideram como da família.

A expectativa da indústria panificadora para os próximos anos é que o movimento e o consumo nas padarias cresçam ainda mais. A atual crise econômica impactou o faturamento das padarias, assim como aconteceu com diversos outros setores da economia. A presença digital das panificadoras também tende a aumentar, principalmente por causa da popularização de aplicativos de delivery, como o iFood.

Leave a Reply