Por Raul Vitor

Quem nunca se lembrou do nome de um filme ao ouvir uma das músicas de sua trilha sonora? Não é raro que isso aconteça, pois a música e a produção cinematográfica estão entrelaçadas desde o início do cinema. No século XIX, quando as produções não consistiam de atributos de capitação sonora, orquestras sinfônicas davam luz a dimensão emocional do espectador, alinhando-se a um desenvolvimento que torna a narrativa mais densa e harmoniosa.

No desenrolar desse desenvolvimento, a música cinematográfica deixou de lado a bagatela de coadjuvante e ganhou independência na sua produção, tanto que possui um quesito particular na maior premiação do cinema, o prêmio de Melhor Trilha Sonora Original, no Oscar.

A CineConcerts uma das principais produtoras de experiências de música ao vivo executadas com mídia visual envolveu milhões de pessoas em todo o mundo em apresentações e concertos que redefinem a evolução da experiência ao vivo, resgatando uma das características cinematográficas do século XIX.

A empresa, fundada em 2013, inaugurou sua experiencia de concertos reproduzindo a trilha sonora de Hans Zimmer, estrelada no filme Gladiador, na íntegra, completamente sincronizada com a imagem ao vivo. Desde então a CineConcerts expandiu rapidamente seu reportório, realizando concertos que vão de longas exibições de filmes com orquestra ao vivo a experiências musicais interativas de eventos, auto intitulando-se na “vanguarda do entretenimento ao vivo”.

Uma de suas ultimas produções ocorreu em parceria com a Warner Bros. Consumer e trouxe de volta a exibição do primeiro filme da saga Harry Potter, de JK Rowling’s, lançado em 2001, acompanhado de sua marcante trilha sonora, conduzida pelo maestro americano John Jesensky, simultaneamente com a reprodução do filme.
O evento que seria realizado entre os dias 8 e 11 de março na Arena do Shopping Eldorado, em São Paulo, foi transferido para os dias 9 e 10 e ocorreu no Anfiteatro Interno do Allianz Park, onde teve um sucesso absoluto de vendas.

Leave a Reply