Com novos horários Minhocão é opção de lazer paulistano

Por Amanda Pucci 

O prefeito João Dória Jr. sancionou a lei que cria oficialmente o Parque Municipal do Minhocão e amplia o horário de uso livre para os pedestres. Desde março o espaço fica fechado para carros aos sábados, domingos e feriados durante todo o dia, quando é ocupado pelo paulistanos como área de lazer.

Quem passa por ali de carro não entende como uma pista de asfalto pode se tornar um local de diversão. Mas lá de cima dá para ver que a região não tem só prédios cinzas, mas também ilhas verdes, belíssimos grafites e jardins verticais.

Corridas, churrasco com os amigos, feirinha de roupas, peças teatrais direto da janela dos apartamentos, aulas de skate para a criançada e festinhas improvisadas com direito a música e a bebida garantida pelos vendedores ambulantes, o Minhocão já é um importante espaço público do Centro de São Paulo.

Crianças brincam no elevado João Goulart.                                 Foto por: Amanda Pucci

Os carros dão lugar a bicicletas, patins, skates, carrinhos de bebê e animais de estimação. Os estressados motoristas são substituídos por pedestres em busca de diversão. Os espectadores passeiam alheios à solidão dos ocupantes dos apartamentos do centro, que estão a menos de 10 metros de distância do viaduto.

Espaço do elevado permanecerá fechado aos finais de semana.  Foto por: Amanda Pucci

Nos últimos anos, o interesse por percorrer os mais de 2km do elevado fechado vem aumentando. O maior movimento é importante para o comércio ambulante. Para completar o passeio é possível comprar, entre outras coisas, pipoca, batata frita, geladinho gourmet ou uma água de coco para se refrescar. José é vendedor ambulante e vende água de coco desde 2017 no Minhocão com a ajuda da família. Conta que o trabalho aos finais de semana é importante para ajudar a complementar a renda.

Ciclistas usam parque Minhocão com frequência.                        Foto por: Amanda Pucci

Quem vem pela primeira vez aprova, é o caso do ex BBB Kaysar Dadour, que afirma que estava adorando o passeio em sua primeira visita. Já quem é frequentador assíduo como a bancária Elaine Monteiro, que traz os filhos quase todos os finais de semana, diz “com a abertura aos sábados agora é mais uma opção de espaço, principalmente porque a gente tem poucos espaços em São Paulo, a gente compete muito com carro, um espaço assim para trazer a família é muito bom.”.

Interdição da via para automóveis foi bem recebida pela população. Foto Amanda Pucci

O Minhocão desde o início sempre foi bastante criticado. A destinação da via é alvo de polêmica na cidade. Grupos defendem a desativação e destruição completa da estrutura, para revitalizar a região, outros afirmam que o elevado pode ser fechado definitivamente para veículos e receber a instalação de um parque. Há ainda quem acredite que ele deve permanecer como está, pois seu fechamento deverá trazer impactos para o trânsito da cidade.

Com a criação do Parque, em dois anos, a prefeitura deverá apresentar um projeto de intervenção urbana no local, reorganizando o tráfego para transformá-lo em um parque em tempo integral, incentivando atividades culturais, esportivas e de lazer. O documento determina que sejam garantidas as “adequadas condições de segurança no local durante os horários de fechamento ao tráfego de veículos, bem como desenvolverá ações de sustentabilidade destinadas a preservar e ampliar a área verde no local”.

Grafites adornam prédios no entorno do parque.                       Foto por: Amanda Pucci

Guardadas as proporções, podemos enxergar o Minhocão como um High Line na capital paulista – o parque linear implantado em um avia férrea elevada em Manhattan, Nova Iorque.

História

Inaugurado em 1971, no 417° aniversário de São Paulo, o Minhocão liga a Praça Roosevelt no centro à região de Perdizes, na zona oeste. Idealizado por Faria Lima, as obras tiveram início no ano de 1969, época da Ditadura Civil-Militar, com o Prefeito Paulo Maluf e levou um tempo de construção recorde para ficar pronta, um ano e dois meses

A obra levava o nome de Elevado Presidente Costa e Silva em homenagem a um dos generais-presidentes que indicou Paulo Maluf à prefeitura da cidade de São Paulo. Em 2016, o prefeito Fernando Haddad aprovou a mudança do nome para Elevado Presidente João Goulart. Assim, o Minhocão deixou de homenagear um presidente da Ditadura e recebeu o nome do presidente que foi deposto pelo regime.

O fechamento diário, da meia-noite às 5h, começou em 1976, os moradores reclamavam que o fluxo pesado e contínuo de carros aumentou muito o barulho, poluição e acidentes, a medida veio então como uma tentativa de diminuir essas ocorrências – e foi ampliado em novembro de 1989, quando a então prefeita Luiza Erundina determinou que o elevado fosse interditado das 21h30 às 6h30 e fechado aos domingos.

O bloqueio aos sábados teve início em 2015 e em fevereiro deste ano a medida foi estendida para todo o sábado, não mais a partir das 15h. A via também alterou seu horário de funcionamento, passando a fechar mais cedo durante a semana, às 20h e reabrindo às 7h de segunda feira, e não mais às 6h30.

Como chegar

O acesso ao elevado pode ser feito tanto pelas pontas, na Igreja da Consolação e Largo Padre Péricles, ou descendo no Metrô Marechal Deodoro, que dá acesso a umas das rampas laterais.

Leave a Reply