MIS apresenta “Maio Fotografia” versão 2018

Por Kenya Marques

O MIS de São Paulo (Museu de Imagem e do Som) foi inaugurado em 1975 com uma exposição de fotografias. Hoje, 43 anos depois,  possui um acervo de 150 mil fotos. Anualmente o MIS apresenta o Maio Fotografia, mostra com obras de artistas internacionais e nacionais. Durante a época da exposição que vai de 21 de abril até 17 de junho ocorrem palestras, premiações de concursos, aulas de fotografia para crianças entre outras atividades. Este ano as exposições apontam para o potencial de resistência e transformação que cada fotografia traz em si.

Maio Fotografia MIS. Foto: Kenya Marques

As estruturas para este projeto ocupam três andares. No térreo, são encontradas fotografias do acervo do museu e da artista Olga Gaia, no primeiro andar as obras expostas são de José Oiticica Filho e Walter Carvalho já no ultimo estão expostas as obras de Sandro Miller. JOF é a apresentação da obra pioneira de José Oiticica Filho (1906-1964) uma das principais figuras da fotografia moderna. Incluso na lista da Fédération Internationale d’ Art Photographique por ser um dos melhores fotógrafos do mundo.

José Oiticica Filho, Recriação 4364, 1964. Foto: Kenya Marques

As obras de Walter Carvalho estão reunidas sob o nome de Retraço, apresentação do conjunto produzido por quase cinquenta anos de carreira. Entre as fotos expostas é possível ver locais que o artista visitou no passado como Colômbia e Estados Unidos e ainda alguns retratos de Caetano Veloso.

Walter Carvalho: Sertões, Raso da Catarina-2013. Foto: Kenya Marques

O chamariz deste ano é a exposição do trabalho do renomado fotógrafo Sandro Miller. O americano através de uma parceria com o ator John Malkovich homenageia diversos artistas que foram referência em sua carreira, como Annie Leibovitz, Robert Mapplethorpe, Bert Stern entre outros. O projeto iniciado em 2013, já percorreu o mundo e foi apresentado em cidades como Nova York, Lianzhou e Amsterdã e  chega pela primeira vez a um país da América Latina.

Art Shay, Simone de Beauvoir-1950. Foto: Kenya Marques

Malkovich, Malkovich, Malkovich: Homenagem aos mestres da fotografia reproduz através do olhar de Miller e da interpretação de Malkovich fotografias já conhecidas pelo público, mas que parecem novas de uma certa maneira.
Em entrevista ao jornal francês Liberation e a publicação 7-POST, o fotógrafo disse: “Ele é extremamente aberto, sem medo e sempre disposto a ir a lugares que a maioria dos atores de seu calibre evitaria. Ele é um gênio disposto a arriscar com um talento que permite que ele se torne algo que eu peço …Meu maior medo era que as pessoas não levassem este projeto a sério. Eu não queria que isso fosse uma paródia. Eu estava falando sério sobre prestar homenagem a ti fotógrafos e fotografias que mudaram minha perspectiva sobre fotografia. ”

Albert Watson, Alfred Hitchcock with a Goose- 1973. Foto: Kenya Marques

Enquanto caminha pela exposição, é possível lembrar do filme de 1999 “Quero ser John Malkovich. Existe uma cena em que o ator principal se encontra dentro do cérebro de Malkovich e quando ele olha para um lado, vê inúmeros Malkovichs  de vestidos, terno, atendendo e comendo. É possível se sentir do mesmo jeito, para todo lugar que ia só existia John Malkovich, só falta se tornar o próprio ator.

Leave a Reply