Por Letícia Sepúlveda

Com a popularização da internet, nunca se consumiu tanta informação como hoje. A demanda por notícia passou a aumentar, assim como a sua disseminação. Tornou-se fácil compartilhar matérias pelas plataformas das redes sociais, em poucos minutos vários usuários têm amplo acesso à uma notícia.

Neste contexto, notícias verídicas e notícias falsas tendem a se confundir. É muito fácil cair em uma fake news e disseminá-la como verdadeira nas redes sociais. O senso crítico do leitor se compromete, assim como a boa apuração dos jornalistas.

Nunca foi tão importante o princípio da livre imprensa e a vigilância dos governos e dos grandes meios de comunicação. A mídia independente e contra hegemônica tem papel fundamental nesse período, veicula o quê muitas vezes não acharíamos nos jornais de grande circulação.

A internet tem grande influência em nossas vidas e na maneira que passamos a nos comunicar nos últimos 20 anos. Cerca de 3 bilhões de pessoas tiveram acesso à um novo meio de comunicação, e nem sempre lidam bem com essa novidade.

Manchetes muito polêmicas tendem a chamar a atenção da pessoa que está passando os olhos pelo seu feed de notícias nos perfis das redes sociais, muitas vezes é possível que o leitor compartilhe a informação sem ter lido a reportagem por inteiro, tendo analisado apenas o conteúdo do título. Deste modo, a notícia falsa é veiculada para todos os seguidores do perfil, expande-se com muita rapidez e pode ser disseminada outra vez, para várias outras pessoas.

A intolerância que se tornou presente nas redes sociais e o crescente avanço da extrema direita no mundo, com Donald Trump nos Estados Unidos e com Jair Bolsonaro no Brasil torna ainda mais fundamental que se tenha uma análise crítica das notícias veiculadas, para que fake news não tenham influências catastróficas em nosso cotidiano.

As reportagens deveriam dar uma visão mais ampla do assunto, apresentar prós e contras dos temas retratados e sempre procurar ouvir diferentes opiniões. Essas estratégias são muito úteis para aprimorar os senso crítico dos leitores, e para que o bom jornalismo seja exercitado.

Leave a Reply