Posts byGiulia Avventurato Matos

O filme e o livro de “Me Chame Pelo Seu Nome” representam o amor na sua simplicidade

Criado por uma vontade do autor de estar na Itália, o livro de André Aciman inspira um dos filmes aclamados de 2017 e 2018; tanto pelo roteiro de James Ivory e direção de Luca Guadagnino quanto pela atuação de Timothée Chalamet e Armie Hammer nos papéis principais.

Como um relato de primeiro amor, “Me Chame Pelo Seu Nome”, do escritor André Aciman, foi reconhecido pela crítica desde o seu lançamento em 2007. A história se passa na Itália dos anos 80, quando os pais de Elio recebem Oliver, um estudante da universidade, para algumas semanas de estudo e turismo pela cidade do
CONTINUE READING

“Trump é um ator político que permite um maior recrudescimento de algo que já acontecia.”

Pesquisador em História Política dos Estados Unidos apresenta visão sobre os acontecimentos em Charlottesville, politização dos ideais e comparação entre a sociedade estadunidense e brasileira sobre o papel do monumento.

Por Giulia Avventurato Matos Doutorando em História na Universidade de São Paulo, Michel Gomes da Rocha é entrevistado pela AGMT sobre a atual importância e ressignificação dos monumentos. Tendo em vista a repercussão das manifestações em torno da retirada da estátua de Robert E. Lee, lider dos confederados, em Charlottesville (EUA), Michel explica essa reação
CONTINUE READING

39 Semana de Jornalismo e a importância da fotografia independente na América Latina

Mostrando o perfil do estudante de jornalismo da PUC-SP, a semana valorizou o uso do audiovisual na profissão e apresenta grande diversidade tanto por parte dos participantes, quanto dos assuntos abordados.

Por Giulia Avventurato Em sua 39 edição, a semana de jornalismo PUC-SP contou com várias mesas de debate em torno da profissão na América Latina, principal tópico abordado. Entre os dias 23 a 27 de outubro de 2017, os próprios alunos da Pontifica Universidade Católica de São Paulo organizaram no campus Perdizes uma variedade de
CONTINUE READING

A Delegacia da Mulher falha quando o assunto é proteção

“A gente só perdeu funcionário em todas a delegacias. E isso prejudica muito no andamento dos processos.” Em entrevista, a delegada titular Luiza confessa uma das muitas dificuldades que a delegacia localizada em Cotia enfrenta.

Tifanny, 17, encontrada morta e com indícios de estupro em Vargem Grande, é um dos muitos casos de crime sexual e homicídio, que ocorre nos bairros próximos à Rodovia Estadual Raposo Tavares. Em seus 654 km de extenção, uma única Delegacia de Defesa da Mulher se encontra próxima ao centro de Cotia. Pior que os
CONTINUE READING