• Resistência Guarani em são Paulo

    MANIFESTO: POR QUE OCUPAMOS O PATEO DO COLLEGIO Hoje nós indígenas guarani de todas as aldeias de São Paulo ocupamos pacificamente o Pateo do Collegio, que é o local onde os brancos se fixaram pela primeira vez, e começaram a tomar posse das terras que eram do nosso povo. Fizemos isso pensando que em poucos dias, chega a data que chamam de “Dia do Índio”. Nesse dia, porém, nos acostumamos a ser enganados, da mesma forma que nos enganaram quando [...]

    Read more »

     
  • PUBLICIDADE DIRIGIDA ÀS CRIANÇAS DEVE ACABAR IMEDIATAMENTE

    PUBLICIDADE DIRIGIDA ÀS CRIANÇAS DEVE ACABAR IMEDIATAMENTE

      Na última sexta-feira (04/04), o Conselho Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente (Conanda) aprovou uma resolução que avança significativamente na luta contra a publicidade destinada a crianças. A resolução 163 do Conselho considera como abusiva toda e qualquer comunicação mercadológica voltada a meninos e meninas. Trata-se de uma reivindicação antiga das organizações e movimentos que defendem os direitos das crianças e um sistema de comunicações plural, democrático e que respeite os direitos humanos. Defensor desta ideia, o [...]

    Read more »

     
  • ÍNDIO É NÓS

    MANIFESTO: ÍNDIO É NÓS Índio é nós: não somos um grupo, somos vários. Agimos porque, neste ano do cinquentenário do golpe de 1964, permanecem os ataques às terras e às vidas dos índios no Brasil. Além da realização de projetos hidrelétricos da ditadura militar, como a usina de Belo Monte, assiste-se hoje à ofensiva, com franco apoio dos três Poderes, do agronegócio e dos grandes eventos esportivos contra o meio ambiente, as populações indígenas e as tradicionais. Normas constitucionais e [...]

    Read more »

     
  • Somos todos Cláudia

    Somos todos Cláudia

    http://thinkolga.com/2014/03/19/100-vezes-claudia/

    Read more »

     
  • Heranças da ditadura militar: debate com Alípio Freire e Rose Nogueira

    50 ANOS DO GOLPE DE 64 HERANÇAS DA DITADURA NO BRASIL DE HOJE  DEPOIMENTO  -  DEBATE  -  ENTREVISTA COLETIVA COM OS JORNALISTAS ALÍPIO FREIRE e ROSE NOGUEIRA   O golpe que derrubou o governo constitucional de João Goulart A resistência da sociedade, dos estudantes e dos trabalhadores O papel da imprensa no golpe e nos anos de repressão estatal A escalada de violação dos direitos humanos e democráticos A luta armada e a luta popular contra a ditadura civil-militar O fim do [...]

    Read more »

     
  • EDUARDO COUTINHO (1933-2014)

    Em abril de 2012 o cineasta Eduardo Coutinho, uma das principais referências da história do documentário brasileiro, que morreu hoje no Rio de Janeiro, participou do evento “Conversas DAGEMT”. Ele exibiu o filme “Um dia na Vida” (2010) — um de seus últimos projetos, que consistia na gravação de 19 horas de programação da TV aberta editados em 90 minutos — e depois participou de uma conversa aberta que reproduzimos abaixo na íntegra em sua homenagem. Filmografia de Eduardo Coutinho: Filmografia – Eduardo [...]

    Read more »

     
  • Frei João Xerri: a relação entre fé e política na base da teologia da libertação

    Segue abaixo a entrevista realizada pela Agência Maurício Tragtenberg e pela Rede PUC com João Xerri, frei dominicano que atualmente dirige a Escola Dominicana de Teologia em São Paulo. Para que o leitor conheça alguns aspectos da trajetório de Frei João Xerri, reproduzimos abaixo um texto de Frei Betto quando a Câmera dos Vereadores concedeu a frei João o título de cidadão paulistano, no ano 2000: Este meu confrade, nascido em Malta, é de fato um cidadão do mundo e [...]

    Read more »

     
  • Artes do Corpo: Zona 5 propõe expedições para uma cidade submersa

    Artes do Corpo: Zona 5 propõe expedições para uma cidade submersa

    Espetáculo/experimento do Grupo de Risco Projeto de Cena 2013 de Comunicação das Artes do Corpo da PUC-SP que inclui habilitações de dança, teatro e performance. Zona 5 propõe expedições para uma cidade submersa à fim de restaurar a luz e restabelecer a ordem. A experiência ocorre em dois planos físicos e ficcionais: A expedição se dá na cidade, com início na catraca da Estação Tiradentes do metrô. Para essa experiência pede-se levar lanternas, já que está escuro. Já no TUCArena, Rua [...]

    Read more »

     
  • A presença dos desaparecidos políticos no imaginário brasileiro

    Seguem abaixo a íntegra do debate  ”A presença dos desaparecidos políticos no imaginário brasileiro” — com a presença de Maria Helena Souza e José Miguel Wisnik (sobrinhos de Elson Costa), da cineasta Isa Grinspum (diretora de Marighella) e da Profa. Heloísa Cruz (História-PUCSP) da Comissão da Verdade da PUCSP — e do vídeo em homenagem a Elson Costa.   Vídeo “Marca-D água”, produzido pelo Núcleo Perseu Abramo (linha de pesqusia Indditec), Agência Maurício Tragtenberg (AGEMT) e pela Rede PUC em [...]

    Read more »

     
 

Recentes

  • A Ditadura morreu, mas seu legado está vivo

    A Ditadura morreu, mas seu legado está vivo

    Muitos políticos e parlamentares que apoiaram o golpe e o regime dos militares continuam na ativa, no Legislativo e no Governo.  Nathan Vilela, aluno do 2º  ano do curso de Jornalismo da PUCSP Passados 50 anos do golpe militar ainda é possível ver muitos resquícios da ditadura. Mesmo com a chamada redemocratização, que ocorreu no final dos anos 80, percebem-se “entulhos da ditadura” em várias áreas da sociedade, desde a política, passando pela imprensa e chegando até a cultura e o comportamento [...]

    Continue reading »

  • Neste aniversário não há o que comemorar

    Neste aniversário não há o que comemorar

    A ditadura mudou o sistema educacional brasileiro para impedir o debate e a reflexão, a formação crítica – o que prevalece até hoje. Ricardo Assis, aluno do 2º ano do curso de jornalismo da PUCSP No dia 1º de abril completaram-se cinco décadas do golpe que instalou uma ditadura nos mais longos 21 anos da história do Brasil. O presidente da República, João Goulart (Jango), eleito democraticamente, foi derrubado pelos militares, com o apoio de governadores, parlamentares, empresários, latifundiários e os principais [...]

    Continue reading »

  • A importância de se conhecer a história

    A importância de se conhecer a história

    “O Brasil ainda não conhece a sua história, e se não conhece não tem como transformar o presente”, diz Edson Teles, doutor em filosofia pela USP e professor da Unifesp. Ele acredita que a falta de punição dos crimes do passado são incentivos para os crimes atuais. Maria Fernanda Romero, aluna do 2º ano do Curso de Jornalismo da PUCSP A ‘Doutrina de Segurança Nacional’, criada na ditadura, ainda é utilizada pelos Policiais Militares. Isso significa que não é feita segurança [...]

    Continue reading »

  •  
  • Postura da polícia é herança da DItadura Militar

    Postura da polícia é herança da DItadura Militar

    Pedro Sciola de Oliveira, aluno do 2º ano do Curso de Jornalismo da PUCSP No dia 1º de abril o Golpe Militar de 64 completou cinquenta anos, mas ainda encontramos resquícios da ditadura que ficou marcada pela antidemocracia, repressão e um forte autoritarismo. Mesmo após quase três décadas do fim do regime, o Estado continua utilizando métodos questionáveis para controlar a sociedade. Além de leis implantadas no período da ditadura que vigoram até hoje e a recorrente espionagem de órgãos governamentais [...]

    Continue reading »

  • A Ditadura na ponta do lápis

    A Ditadura na ponta do lápis

    Cinco décadas depois, a estrutura educacional implantada pelo regimede 64 ainda promove educação através da precarização do ensino. Lucas Goldstein, aluno do 2º ano do Curso de Jornalismo da PUCSP É até fácil: quando se conversa sobre educação com uma geração mais velha – que viveu a vida de classe média antes do golpe de 64 e hoje passa dos sessenta anos de idade –, existe grande chance de receber a resposta (como conversa típica de classe média) resumida em um [...]

    Continue reading »

  • Do DOPS às UPPs

    Do DOPS às UPPs

    Tortura, ocultação de cadáveres e impunidade são heranças pertinentes do Regime Militar Brasileiro Por Marcus Ronn Leite, aluno do 2º  ano do Curso de Jornalismo da PUCSP   “A época da Ditadura foi horrível, triste e repressora. Eu, particularmente falando, acredito que um dos maiores resquícios do regime foi a violência exercida pelos militares daquele tempo. Eles tomavam conta do país, prendiam comunistas, os torturavam e, por fim, ainda desapareciam com seus corpos. Essa violência se proliferou durante os anos, e, hoje, mais [...]

    Continue reading »

  •  
  • Polícia Militar tem atuação incoerente com Regime Democrático

    Polícia Militar tem atuação incoerente com Regime Democrático

    Um dos mais prejudiciais legados deixados pelo Golpe Militar de 1964, a PM impede iniciativas populares e extermina a população das favelas brasileiras.  Suria Moustapha Barbosa, aluna do 2º ano do Curso de Jornalismo da PUC A polícia militar brasileira tem suas funções de realizar o policiamento ostensivo e preservar a ordem pública definidas pelo artigo 144 da Constituição Federal. Os métodos utilizados pela instituição são, no mínimo, questionáveis, já que ela mata cinco pessoas por dia no Brasil (de acordo com 7º Anuário [...]

    Continue reading »

  • Mulheres de hoje e a Ditadura Militar

    Mulheres de hoje e a Ditadura Militar

     Dos porões do regime às periferias, mulheres herdam luta por igualdade.  Priscila Bellini,  aluna do 2º ano do Curso de Jornalismo da PUC Eu era a “Miss Esquadrão da Morte”, imagina passar no meio de todos aqueles torturadores sendo a miss, relata Rose Nogueira, no evento 50 anos do golpe de 64,  heranças da ditadura no Brasil de hoje, na PUC-SP. A Comissão da Verdade trouxe à tona relatos de mulheres que foram vítimas do horror disseminado à época. Nos porões [...]

    Continue reading »

  • As heranças do Golpe de 1º de Abril de 1964

    As heranças do Golpe de 1º de Abril de 1964

     O golpe militar que derrubou Jango completa 50 anos e as heranças que ele deixou são piores do que a maioria dos brasileiros quer acreditar. Isabelle Ramos Rumin, aluna do 2º ano do Curso de Jornalismo da PUCSP Dívida externa, desigualdade social e econômica, privatização do ensino, desrespeito aos direitos humanos. 50 anos depois das tropas do general Mourão Filho saírem de Minas Gerais em direção ao Rio de Janeiro e do exílio do presidente João Goulart, os legados deixados para o país [...]

    Continue reading »

  •  
  • Desmemória: os entulhos da ditadura na imprensa brasileira

    Desmemória: os entulhos da ditadura na imprensa brasileira

    50 anos se passaram e ainda convivemos com forças conservadoras e retrógadas que atrasam a democracia no país em diversos aspectos.  Vanessa Panerari, aluna do 2º ano do Curso de Jornalismo da PUCSP Esse ano o Brasil completa 50 anos do golpe militar. Mas a ditadura não foi apenas militar, ela foi também civil, com o respaldo de diversos setores da direita, entre eles latifundiários, grandes empresários e banqueiros. Agiram sob o argumento da lei da segurança nacional, segundo a qual o [...]

    Continue reading »

  • As vozes das ruas em 1968 e 2013

    As vozes das ruas em 1968 e 2013

    Carolina Belleze Meira Lima, aluna do 2º ano do curso de Jornalismo da PUCSP                 Junho. Marcado pelo inicio do inverno, festas de São João, dia dos namorados e muitas outras datas, é um dos meses mais movimentados do ano, pois além de feriados também é uma preparação para o merecido descanso do meio do ano. Nos anos de 1968 e 2013, no entanto, o mês de junho foi muito mais do que os 30 [...]

    Continue reading »

  • O princípio que (ainda) não teve fim

    O princípio que (ainda) não teve fim

    As heranças deixadas pelo regime militar não são poucas e ainda estão presentes na vida dos brasileiros. Brenda Freitas, aluna do 2º ano do Curso de Jornalismo da PUCSP “…fui algemado, sem roupa, e apanhando já no caminho”, “…eu tinha sido torturada a noite toda, nua…”, “…tive torturas físicas horríveis, e muito mais na área moral, sexual, e apanhei muito”. Frases como essa são comuns em depoimentos de vítimas da ditadura militar brasileira, que começou no ano de 1964 e terminou em [...]

    Continue reading »

  •  
  • Como os meios de produção sustentaram o golpe

    Como os meios de produção sustentaram o golpe

    Muitos empresários financiaram o aparato repressivo da Ditadura Militar e perseguiram os trabalhadores nos locais de trabalho. Por Alex Tajra, aluno do 2º ano do Curso de Jornalismo da PUCSP Ao completar 50 anos do golpe de Estado de 1964, quando se implantou o período mais retrógrado da política brasileira, a Ditadura Civil-Militar, é bastante consensual hoje, na sociedade, que aquele período foi realmente sombrio e revelador de uma faceta violenta das Forças Armadas. Mas, além dos militares, é preciso analisar quem [...]

    Continue reading »

  • O Golpe Militar e sua herança maldita

    O Golpe Militar e sua herança maldita

    Diogo Sugaya, aluno do 2º ano do Curso de Jornalismo Faz cinquenta anos que o golpe foi deflagrado e derrubou o governo constitucional do presidente João Goulart. Os militares ficaram 21 anos no poder, sufocaram a democracia e cometeram todos os tipos de crimes e atrocidades. Deixaram um país marcado pela violação dos direitos humanos. No presente, as sequelas da ditadura ainda são sentidas, consequências daquele fatídico 1º de abril de 1964, está aqui, ainda com todos os agentes e colaboradores do [...]

    Continue reading »

  • As marcas da ditadura no Brasil

    As marcas da ditadura no Brasil

    Rebeka Mallet, aluna do 2ºano do Curso de Jornalismo da PUCSP A ditadura militar produziu inúmeras interferências na vida social, política, econômica e cultural na sociedade brasileira. Durante este período os estudantes, os intelectuais, os engajados políticos, foram as principais vítimas do sistema que contestavam. Em plena Guerra Fria, a elite brasileira posicionou-se do lado dos Estados Unidos e da direita ideológica. Ser comunista passou a ser terrorista. Agentes infiltrados acompanhavam os considerados subversivos, vigiavam desde igrejas aos meios de comunicação. O [...]

    Continue reading »

  •  
 
 
 
 
  • Dossiê – Agemt contra o golpe

    Dossiê – Agemt contra o golpe

    Eleição A Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP) é uma das únicas instituições de ensino do Brasil a escolher sua reitoria por meio de um processo democrático. As eleições diretas, na qual estudantes, professores e funcionários exercem seu direito através do voto paritário, são realizadas a cada quatro anos desde 1980, representando um vanguardismo político no Brasil, que vivia sob regime militar – na época, Dom Paulo Evaristo Arns era o Grão-Chanceller da Universidade e Nadir Kfouri foi a [...]

    Continue reading »

 

AGEMT

Rua Monte Alegre, 984 Perdizes - São Paulo - SP CEP: 05014-901 Fone: (11) 3670-8355  contate_agemt@imediata.org CC